top of page

O fardo de ser mulher

Uma mulher engravida, e é questionada: - por que não se cuidou?

Essa crítica vem de outras mulheres, a maioria da família onde ela deveria se sentir acolhida.


Uma mulher cansada olhando para janela sentindo o peso e fardo de ser mulher

O bebê que ela espera é um menino e ela sente o alívio de não ser mais uma mulher a sofrer no mundo, esse pensamento vem de uma mulher, a mãe.

Mas o bebê é uma menina e ela fica feliz, mas se preocupa com o mundo e com todo peso que ela vai carregar, assim como a mãe dela e ela sentem.

A família vibra e logo vem as primeiras piadas de algum parente destinada ao pai:

Se menino: - Aí, sim, lá vem o garanhão

Se menina: - Ih, é uma menina. Você está ferrado!


Então a menina cresce, vira adolescente e as coisas começam a ficar difíceis de verdade: acne, pelos e a temível menstruação. Pouco falada, pouco ensinada e muito condenada.

De repente, as mulheres da família começam a falar para ela se cuidar para não engravidar e ela só tem 11 ou 12 anos.

Daí o medo do sexo, as cólicas, as alterações de humores que ela não consegue controlar, as dores de cabeça, todos os meses.


A vida adulta não facilita. Ela tem que trabalhar, ser independente, cuidar da casa, dos filhos e da família, mesmo morrendo de dor.

Aí entram os remédios, novos médicos, tudo invadindo seu corpo, ela passa viver sem tempo, para cuidar de si mesmo, quem dirá conhecer seu corpo.

Sexo vira obrigação ou mecanismo de conquista para se sentir amada, muitas vezes motivos de brigas. 


Chega! Melhor tomar um remédio que faz o sangramento mensal parar de vir. Pelo menos, ela pode se livrar disso. Ela nem mesmo sabe o que é ter orgasmo, compra brinquedos da vida adulta para ver se sente algo já que vive anestesiada.

Os anos passam ela sente um vazio e a menopausa chega, sente-se menos atraente, a libido, que estava adormecida, morre e mais uma onda de hormônio invade seu corpo, descontrolado, surge. A solução mais remédio. Ela só quer parar de sentir as dores, incômodos e o peso de ser mulher.

Não era para ser assim…

… não precisa ser assim.


A Floresta é um grupo de mulheres que desejam fazer um caminho de volta para sua essência, onde encontramos acolhimento e apoio e tornamos mais leve e fácil sendo quem somos.

Toda terça 15h pelo Zoom uma roda de conversa sobre a cura do feminino.





2 visualizações0 comentário
bottom of page